10/11/12

Comunicado | Quercus promove acção de apresentação do projecto LIFE+ “HIGRO” para conservar habitats prioritários de montanha‏


logos


Quercus promove acção de apresentação do projecto LIFE+ “HIGRO” para conservar habitats prioritários de montanha


 
No próximo dia 11 de novembro, a Quercus irá apresentar o projeto "HIGRO – Ações demonstrativas para a conservação dehabitats prioritários de montanha no norte de Portugal" em Vila Pouca de Aguiar (Afonsim), iniciativa que conta com ocofinanciamento do Programa Life+ da União Europeia. O projeto teve início em setembro de 2010 e termina em dezembro de 2013, estando a ser implementado em três Sítios da Rede Natura 2000: “Alvão-Marão”, Serra de Montemuro e “Serra de Arga”. A intervenção incide essencialmente sobre baldios comunitários distribuídos por sete Municípios (Vila Pouca de Aguiar, Mondim de Basto, Vila Real, Castro Daire, Resende, Viana do Castelo e Caminha), numa área total de cerca de 200 hectares. 

HIGRO tem como objetivo central definir uma metodologia que promova a restauração e a conservação ativa de dois habitats prioritários (urzais-tojais higrófilos e cervunais(1)), procurando avaliar as técnicas de gestão que induzem uma maior diversidade e promovem a conservação da flora RELAPE (espécies Raras, Endémicas, Localizadas, Ameaçadas ou em Perigo de Extinção) e de espécies da fauna ameaçada, das quais se destacam algumas plantas vasculares [e.g. genciana-das-turfeiras (Gentiana pneumonanthe) e arranha-lobos(Genista berberidea)] e invertebrados [e.g. borboleta-azul-das-turfeiras (Phengaris alcon) e libelinha-de-mercúrio (Coenagrion mercuriale)]. Pretende-se ainda testar que periodicidade e intensidade de cada intervenção promove o equilíbrio na representação dos dois habitats no mosaico, favorece a diversidade vegetal, a sua resiliência (capacidade de regeneração) e a sua resistência a perturbações externas, bem como avaliar de que forma a posição biogeográfica, as características climáticas e as condições ambientais locais (e.g. topografia, litologia, histórico de uso) devem influir no tipo de gestão a efetuar.

Gestão das áreas também envolve as populações locais 
As ações de gestão dos habitats previstas compreendem o controlo mecânico da vegetação arbustiva e herbácea, o restauro da hidrologia natural, a instalação de vedações amovíveis e a promoção do pastoreio de percurso através da celebração de contratos com diversos produtores de gado locais, dado que o maneio deste tipo de habitats está intimamente ligado à atividade tradicional de pastorícia em regime extensivo, algo que se encontra em franca regressão nas áreas montanhosas abrangidas pelo projeto. A implementação do projetopressupõe a prévia celebração de contratos de gestão com as entidades administradoras de baldios e particulares, com aplicação de mecanismos de compensação pela afetação destas áreas à conservação da natureza.
Desta forma, procura-se criar um complemento económico com base na manutenção da integridade dos habitats e da biodiversidade associada.

Um projeto que reúne vários parceiros 
projeto conta com o apoio de diversas entidades que integram a sua Comissão de Acompanhamento: ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas); ARH do Norte I.P. (Administração da Região Hidrográfica do Norte I.P.); Municípios de Vila Pouca de Aguiar, Mondim de Basto, Vila Real, Castro Daire, Resende, Viana do Castelo e Caminha; AGUIARFLORESTA (Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar); SBTMAD (Secretariado dos Baldios de Trás-os-Montes e Alto Douro); BALFLORA (Secretariado dos Baldios do Distrito de Viseu); ACEB (Associação para a Cooperação Entre Baldios); e FAPAS (Fundo para a Proteção dos Animais Selvagens).

O acompanhamento científico está a cargo do CIBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos) da Universidade do Porto, do CIMO (Centro de Investigação de Montanha) da Escola Superior Agrária de Bragança e do TAGIS (Centro de Conservação das Borboletas de Portugal).

Lisboa, 6 de novembro de 2012

Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza


Para mais informações contactar Paulo Monteiro (93 9992188; higro@quercus) ou visite o sítio do projeto em http://higro.org/

(1) Habitats a conservar:
·      Urzais-tojais higrófilos [(4020) *Charnecas húmidas atlânticas temperadas de Erica ciliaris e Erica tetralix];
·      Cervunais [(6230) *Formações herbáceas de Nardus, ricas em espécies, em substratos silicosos das zonas montanas (das zonas submontanas da Europa continental)]