22/01/17

Concurso Escolar "Reutilizar a Todo o Gás" reforça importância da reutilização e da redução da produção de resíduos

Inscrições abertas até ao dia 20 de fevereiro

baner-quercus-sodas2
Concurso Escolar “Reutilizar a Todo o Gás” reforça importância
da reutilização e da redução da produção de resíduos


  • O Concurso é uma iniciativa realizada pela Quercus em parceria com a Sodastream Portugal, que procura sensibilizar os mais novos sobre a importância de cuidar do ambiente
  • A iniciativa dirige-se a todos os alunos desde o Ensino Pré-Primário até ao Ensino Secundário

Concurso Escolar “Reutilizar a Todo o Gás” é uma iniciativa da Quercus em parceria com a Sodastream Portugal que sedestina a todos os alunos do Ensino Pré-Primário ao Ensino Secundário de todo o país. Para participar no Concurso Escolar “Reutilizar a Todo o Gás” é necessário proceder à inscrição prévia, cuja fase está ativa até ao dia 20 de fevereiro.
O desafio tem como objetivos a conceção e a construção, por equipa, de um objeto livre a partir de garrafas PET e/ou latas. Neste sentido, pretende-se sensibilizar as crianças e os adolescentes para a importância da reutilização de materiais e da redução da produção de resíduos.
Para poder participar, cada equipa deverá preencher o formulário de inscrição disponível no site www.quercus.pt, até ao dia 20 de fevereiro e, posteriormente, enviar imagens (fotográficas ou em vídeo) da sua criação para o endereço formacoes.iniciativas.quercus@gmail.com, até ao dia 21 de março.
Ainda que se destine a alunos de todas as idades, as equipas, que podem ser turmas ou grupos de alunos, concorrerão apenas com outras do mesmo ciclo de estudos, existindo um prémio para cada escalão.
Os vencedores – um por ciclo de ensino – serão revelados no dia 22 de Abril, Dia Mundial da Terra, e, nesse momento, dar-se-á oportunidade aos restantes participantes de verem o seu trabalho reconhecido, desta feita, nas redes sociais da Quercus e da Sodastream Portugal.
Os projetos não reconhecidos pelo júri com um prémio serão publicados nas redes sociais, e aquele que tiver o maior número de likes será também galardoado.
A avaliação dos projetos será feita tendo em conta o impacto de cada projeto na sensibilização para esta temática, bem como a sua criatividade e inovação.

Os grupos que responderem aos critérios mencionados serão premiados da seguinte forma:
- Vencedor do Ensino Pré-Escolar – um carro e um barco solar por grupo;
- Vencedores do Ensino Básico (1º, 2º e 3º Ciclo) – um microscópio por grupo;
- Vencedores do Ensino Secundário e Facebook – um exemplar de uma máquina SodaStream por grupo.

A Quercus e a Sodastream Portugal pretendem, através deste desafio, incutir nas crianças e adolescentes de todo o país o reconhecimento das consequências do gasto excessivo de recursos e a ideia de que se pode criar a partir de materiais previamente utilizados, proporcionando uma simbiose entre a criatividade, o trabalho em equipa, as artes plásticas e a adoção de uma atitude mais amiga do ambiente.

De acordo com a Sodastream em Portugal “Ao assumir-se como uma alternativa para a mudança nos hábitos de consumo de água e que promove um verdadeiro “plastic detox”, a Sodastream procura através desta parceria reforçar a apoio a iniciativas que contribuam para a promoção da mudança de comportamentos em prol da defesa do ambiente.”
A Sodastream advoga o uso da água da torneira em todo o mundo, de forma a parar com o consumo de água em garrafas de plástico, que acabam por contaminar o planeta. Ao utilizar-se a Sodastream, a pegada de carbono é reduzida em 60% por cada vez que um consumidor, em vez de comprar uma bebida gaseificada, opta por fazê-la em casa, utilizando água da torneira e a Sodastream. Desta forma, não só deixa de contribuir para o impacto ambiental que o circuito de distribuição de bebidas gaseificadas contempla, como evita o consumo dessas bebidas armazenadas em garrafas de plástico, podendo fazê-las com a garrafa da Sodastream PET, que tem um período médio de vida de 3 anos. 
Sobre a Quercus:
A Quercus é a maior Organização Não Governamental de Ambiente (ONGA) portuguesa do país e foi fundada a 31 de outubro de 1985. É uma associação independente, apartidária, de âmbito nacional, sem fins lucrativos e constituída por cidadãos que se juntaram em torno do mesmo interesse pela Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais e na Defesa do Ambiente em geral, numa perspectiva de desenvolvimento sustentado.
O seu âmbito de ação abrange hoje diversas áreas temáticas da atualidade ambiental, onde se incluem, além da conservação da natureza e da biodiversidade, a energia, a água, os resíduos, as alterações climáticas, as florestas, o consumo sustentável, a responsabilidade ambiental, entre outras. Este acompanhamento especializado é, em grande parte, suportado pelo trabalho desenvolvido por vários grupos de trabalho e projetos permanentes. Visite: www.quercus.pt

Sobre a Sodastream:SodaStream é líder mundial no fabrico e distribuição da Sparkling Water Maker, opera em 45 países e está disponível em mais de 70.000 lojas de retalho espalhadas pelos cinco continentes. SodaStream permite que os consumidores transformem com facilidade a água da torneira em água gaseificada em alguns segundos. Torna a água mais agradável e divertida de beber e ajuda os consumidores a beber mais água. A SodaStream, fabricante de água com gás, oferece uma alternativa altamente inovadora aos consumidores que desejam reduzir o número de refrigerantes carbonatados engarrafados e em lata. Os produtos da SodaStream promovem a saúde e o bem-estar, são ambientalmente amigáveis e sustentáveis, são personalizáveis e divertidos de usar.  Visite:  www.sodastream.com ou https://www.sodastream.pt/
19 de Janeiro de 2017
A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza
Para mais informações da Quercus:
Célia Vilas Boas, Quercus, Tel: + 351 931 620 212celiavilasboas@quercus.pt
Nuno Sequeira, Quercus, Tel: + 351 937 778 472nunosequeira@quercus.pt
Para mais informações da Sodastream:
Miguel Reis, IPSIS, Tel: +351 916 895 297miguel.reis@ipsis.pt
Teresa Barão da Cunha, IPSIS, Tel: +351 912 592 945teresa.cunha@ipsis.pt

14/01/17

Sessão de sensibilização e esclarecimento sobre o radão | 21 de janeiro | Guarda

O Núcleo Regional da Guarda da Quercus A.N.C.N. e o Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro vão realizar uma sessão de sensibilização e esclarecimento sobre o radão no dia 21 de janeiro. O início está marcado para as 21h no Centro Cultural, Social e Recreativo do Bairro da Luz, Guarda.

Esta ação tem como objetivo promover um debate aberto sobre o tema a todos os níveis contribuindo para a desmistificação de um tema que para muitos ainda é pouco conhecido. Para o efeito esta sessão contará com a presença de especialistas em matéria de saúde, medição e mitigação.

Como oradores convidados contamos com a presença da Dr.ª Filomena Botelho do Instituto de Biofísica/Biomatemática da Faculdade de Medicina de Coimbra, da Prof.ª Dr.ª Ana Antão do Instituto Politécnico da Guarda e do Eng.º Bruno Nogueira da empresa Lusoradon.

Ficam algumas perguntas que nos chegaram e que serão debatidas na sessão:
- Conhece os efeitos do radão na sua saúde? Sabe o que fazer?
- Sabe como se move o gás radão?
- Sabe como entra o radão na sua casa?
- Sabe qual é a concentração média recomendada?
- Sabe como melhorar a construção em zonas de maior radioatividade como a Guarda?
- Que cuidados ter na construção de edifícios nas zonas de maior concentração?
- Há relação direta do radão com o desenvolvimento de neoplasias?
- Que cuidados podemos ter em edifícios com altos níveis de concentração de forma a minorá-la?
- Quais os limites seguros de exposição ao radão? Como efetuar uma avaliação segura desses valores?

Faça-nos chegar também as suas questões através do grupo:
https://www.facebook.com/groups/1946429785576700/?fref=ts


22/12/16

Quercus lança campanha de crowdfunding

 “Mais espaço para a natureza no Tejo Internacional”


 Em 1987 a Quercus fez uma campanha pioneira no movimento associativo ambientalista em Portugal para adquirir terrenos para a conservação da natureza na zona do Tejo internacional. Esta campanha teve como objetivo proteger a fauna e flora em perigo na zona do Tejo Internacional, de forma a evitar que a nossa floresta autóctone e fauna ameaçada fosse destruída pelas plantações de eucaliptos e abates ilegais.

Com a verba angariada foi possível adquirir 600 hectares, que ao longo dos últimos 30 anos deram origem a várias reservas que têm sido intervencionadas para potenciar a recuperação da biodiversidade.


crowddd

Graças a estes esforços espécies como o abutre – preto e a águia-imperial Ibérica, voltaram a nidificar em Portugal, habitats prioritários como os tamujais e diversas espécies de flora ameaçada como o lírio português têm recuperado nessas áreas. 


A Quercus tem vindo a promover a recuperação de habitats e espécies nesta zona, promovendo ações de educação e sensibilização ambiental, turismo de natureza, ações de reflorestação e recuperação de linhas de água, um alimentador de abutres, remoção de espécies exóticas invasoras, devoluções à natureza de espécimes recuperados, entre muitas outras iniciativas. Este trabalho tem sido feito em parceira e sinergicamente com outros atores locais, moradores associações locais, municípios, empresas e autoridades públicas.


 


A Quercus, pretende continuar este trabalho  e para isso criou a Campanha ““Mais espaço para a natureza no Tejo Internacional” que permitirá alargar uma das reservas em mais 80 hectares, recuperar mais de 800 metros de margens da Ribeira do Marmelal, uma ribeira com habitats prioritários de conservação como os  tamujais e  freixiais e com presença de espécies como o cágado de carapaça estriada e a boga portuguesa, a conservação de 40 hectares de floresta de montado de sobro e 20 hectares de floresta de Azinhal onde habitam várias centenas de  outras espécies, algumas das quais em perigo de extinção.

Qualquer cidadão pode ajudar dando o mínimo de 5 euros e terá sempre uma recompensa, além de estar a contribuir para a preservação e conservação do Ambiente.


A campanha está disponível em http://ppl.com.pt/pt/causas/mais-espaco-natureza


Lisboa, 22 de Dezembro de 2016
A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

23/11/16

Debate "Acordo de Paris ratificado, e agora?" | 5.ª feira | 21h15 |

O Núcleo Regional da Guarda da Quercus A.N.C.N. e Oficina9 - Associação de Empreendedores da Guarda organizam juntamente amanhã a partir das 21h15 um debate intitulado "Acordo de Paris ratificado, e agora?" a partir do documentário ambientalista,"Before the Flood" produzido pelo actor Leonardo Di Caprio e exibido na RTP1 no dia 31 de outubro de 2016.

O debate decorre na sede da Oficina 9 - edifício M5 - Bussiness Center na Av. Rainha Dª Amélia, n.º 74, Guarda. 

Dada a capacidade do auditório, limitada a 25 pessoas, pede-se que efetuem inscrição para o endereço oficina9aeg@gmail.com.  

18/11/16

Ação de reflorestação | 26 de novembro | 9h30 | Gata (Casal de Cinza)

Entre os dias 19 e 27 de novembro, e assinalando o dia da floresta autoctóne que se celebra no dia 23 de novembro, o Núcleo Regional da Guarda vai promover uma ação de reflorestação no sábado dia 26 de novembro na localidade da Gata, freguesia de Casal de Cinza, concelho da Guarda. Decorrem igualmente pelo país inúmeras ações de sementeiras e plantações de diversas espécies autóctones.

O dia da floresta autoctóne foi estabelecida para promover a importância da conservação das florestas naturais da Península Ibérica.

Tarda o reconhecimento sobre as funções desempenhadas pela floresta autóctone. A floresta autóctone apresenta uma importância fundamental através dos serviços que desempenha nos ecossistemas, tais como a preservação da biodiversidade, a regulação do ciclo da água, a manutenção da fertilidade e fixação dos solos, o sequestro do dióxido de carbono atmosférico e a produção de oxigénio, contribuindo com efeito mitigador das alterações climáticas.

As nossas florestas autóctones, como os carvalhais, azinhais e sobreirais desenvolvidos, são normalmente mais resistentes e resilientes aos incêndios florestais. Em Portugal, a maior parte das florestas naturais desapareceu ou está já muito alterada, pelo que nunca é demais relembrar a importância destes bosques, e das espécies que o compõem, tanto em termos ecológicos, como económicos.

Se estiver na Guarda no dia 26 de novembro junte-se a nós na localidade da Gata a partir das 9h30.


20/10/16

3.º Concurso de cozinha solar Quercus-IPG | 2016-2017

Estão abertas as inscrições para a 3.ª edição do Concurso de cozinha solar organizado juntamente entre o Núcleo Regional da Guarda da Quercus – A.N.C.N. e o Instituto Politécnico da Guarda. Trata-se de um concurso dirigido a alunos do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e secundário ou equivalente do distrito da Guarda e dos concelhos de Belmonte, Covilhã e Fundão.

Pretende-se que sejam construídos fornos solares recorrendo preferencialmente a materiais de fácil acesso e reutilizáveis. O concurso está organizado em 3 escalões e as equipas deverão ter no máximo 3 elementos. A escola deverá decidir em que escalões pretende concorrer e selecionar, dentro de cada escalão, a equipa que a representará na final prevista para o dia 20 de maio de 2017 numa prova a realizar no Instituto Politécnico da Guarda.

Os prémios atribuir aos vencedores de cada escalão são:
1.º Classificado: prémio atribuído pela MoviJovem
2.º Classificado: jogo didáctico da Science4You
3.º Classificado: t-shirt do IPG e um prémio da Quercus

Aspectos a ter em conta:
- o Regulamento pode ser acedido aqui;
- e as inscrições decorrem até 31 de janeiro de 2017 e deverão ser feitas através de um dos seguintes contactos: 931 104 568 ou guarda@quercus.pt;
- o concurso pode ainda ser acompanhado nos seguintes meios http://cozinha-solar-quercus.blogspot.pt/ ou do Facebook do N.R.Guarda;

O Núcleo Regional da Guarda da Quercus – A.N.C.N. e o Instituto Politécnico da Guarda agradecem ainda os apoios ao referido concurso: Firm Questions, MoviJovem, Science4You e Via Rápida.


09/10/16

CineEco 2016 – XXII Festival Internacional de Cinema Ambiental


Quercus entrega petição para parar a caça na Reserva Natural da Serra da Malcata e pede ao Governo para cumprir recomendação da Assembleia da República


 


Lince Iberico












A Quercus entregou aos Ministros do Ambiente e da Agricultura uma petição com 5486 assinaturas para travar o regresso da caça a esta Reserva Natural. A Quercus também solicitou ao Governo que cumpra as resoluções aprovadas em Maio na Assembleia da República, que recomendam ao Governo que volte a proibir a caça nesta Reserva Natural.

O Governo, através Portaria n.º 19/2016 de 8 de Fevereiro, revogou a Portaria n.º 874/93 de 14 de Agosto que proibia a caça na Reserva Natural da Serra da Malcata. A Quercus tem vindo a contestar esta opção do tomada pelo Governo, pois a mesma pode colocar em causa a recuperação de várias espécies presa que se encontram a recuperar na zona, tais como o Corço, o Veado ou o Coelho, e ainda de espécies em perigo como o Lince, o Lobo ou o Abutre-preto.

Na maioria do território português é possível exercer a actividade cinegética, sendo muito poucas as áreas no território nacional onde não se caça. A decisão do Governo de voltar a permitir a caça na Serra da Malcata carece da devida fundamentação científica, não se conhecendo até à data nenhum estudo sobre as populações de espécies que possam vir a ser exploradas cinegeticamente. Esta opção também representa um aumento do risco para o Plano Nacional de Reintrodução do Lince-ibérico, através do qual estão a ser investidos de milhões de euros, e que prevê que venham a ser libertados Linces nesta Área Protegida.

A Quercus não está contra a actividade cinegética, mas esta apresenta também riscos, como qualquer outra actividade, e neste caso não existe qualquer necessidade ou fundamentação científica que justifique permitir a caça numa reserva natural, sobrepondo os interesses da caça aos da conservação da biodiversidade. O abate a tiro é uma das principais causas de morte não natural do lince-ibérico e do lobo-ibérico.


A Quercus entregou petição com 5486 assinaturas
A Quercus entregou ao Presidente da República, aos Ministros do Ambiente e da Agricultura, ao Presidente do ICNF e a vários partidos, uma petição pública iniciada por Joaquim Gil, um cidadão preocupado com esta problemática, e que contou o apoio da Quercus na sua promoção e divulgação a nível nacional.


Parlamento recomenda ao Governo que volte a proibir a caça na Malcata
No passado dia 29 de Maio de 2016, a Assembleia da República aprovou duas resoluções do PAN e do BE que recomendam ao Governo que volte a proibir a caça na Reserva Natural da Serra da Malcata. A Quercus alerta novamente o Governo para o facto de ainda estarem por cumprir estas resoluções e exige que o Ministério do Ambiente actue em conformidade, adoptando uma postura mais activa em defesa da conservação da natureza e da biodiversidade.


Lisboa, 04 de Outubro de 2016.

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

Está convidado para a Celebração do 31º Aniversário da Quercus

Aproximando-se as comemorações do 31º Aniversário da Quercus deixamos o convite para que todos se juntem a este momento, tão importante para a Associação.

Aproveite a ocasião e conheça outros associados da Quercus.
A sua presença e opinião é importante!
Contamos com a sua presença.

Haverá o jantar comemorativo seguido da entrega do Prémio Quercus 2016



08/10/16

Passatempo Quercus!

Adquira o kit “Uma Árvore pela Floresta” nas lojas CTT e partilhe connosco uma foto/gif/video original e habilite-se a ganhar prémios !

Para participar apenas tem de ter Gosto na página da Quercus - ANCN e partilhar com os seguintes Hashtags #quercus e #umaarvorepelafloresta.
As ideias mais originais habilitar-se-ão a ganhar:
1º- Prémio : Um noite no Monte Barata para duas pessoas
2º- Prémio : Uma anuidade de associado da Quercus
3º- Prémio : Um Guia do Tejo Internacional
Participe até 30 de Novembro!
Junte-se aos CTT e à Quercus na 3ª edição da campanha “Uma Árvore pela Floresta” e contribua para a reflorestação do Gerês, do Tejo Internacional, das Serras de Montemuro, Alvão, Marão, Caramulo ou Estrela.


05/10/16

COMUNICA 2016 – Comunicação na área do Ambiente - 03 de Novembro no auditório do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP)




Quando a população e os meios de decisão estão informados e sensibilizados, envolvem-se mais nas iniciativas e tomam melhores decisões. Por esta razão, é fundamental que exista uma boa Estratégia de Comunicação por parte das instituições e das empresas.

Uma Estratégia de Comunicação bem definida é fundamental para que a mensagem a transmitir seja compreendida. A Comunicação na área do Ambiente é:

— Importante para a imagem das empresas, tanto com os colaboradores internos, como com o exterior (fornecedores e clientes);

— Importante para as associações/organizações conseguirem transmitir a sua missão de uma forma mais eficaz e eficiente;

— Um nicho de mercado com potencialidade.

Os participantes terão a possibilidade de conhecer vários exemplos de aplicação de Estratégias de Comunicação na área do Ambiente, tomando consciência da importância e benefícios que uma boa Comunicação pode trazer para as empresas.

COMUNICA 2016 – Comunicação na área do Ambiente, que se realizará dia 03 de Novembro no auditório do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP), permitirá que todos os participantes possam dar o seu contributo às florestas portuguesas, através do Projeto Floresta Comum, um projeto que promove e apoia ações de produção e arborização com espécies florestais autóctones no território nacional, contribuindo e incentivando dessa forma a biodiversidade das florestas portuguesas.

No dia do evento o participante poderá escolher uma das árvores autóctones disponíveis (azinheira, sobreiro ou carvalho) que será plantada pela Quercus durante a próxima época de (re) arborização, que decorrerá de novembro de 2016 a fevereiro de 2017.






PROGRAMA:


comunica programa 01

04/09/16

SALVE AS ÁRVORES DO PARQUE MUNICIPAL

Olá,

Partilhamos a seguinte petição que embora não realizada pelo Núcleo Regional da Guarda da Quercus A.N.C.N. decidimos divulgá-la por partilharmos da mesma sensibilidade ambiental e por considerarmos que devia haver disponibilização de mais informação aos munícipes sobre a requalificação pretendida para este espaço.

Para: Sr.(a) Munícipe;


Preserve as árvores do parque municipal da Guarda!
Não as deixe ABATER!

- A Câmara Municipal da Guarda prepara-se para, já em Setembro, iniciar a requalificação do parque municipal. Conhece o projecto que a sua Câmara prevê para o seu parque - uma área despida e deserta?

- Essa requalificação prevê, o abate de mais de uma dúzia de árvores em redor do lago e a substituição do pavimento dos caminhos de saibro pela betonilha (lages de cimento).

- As árvores a abater têm dezenas de anos e não têm qualquer problema fitossanitário (doença) que justifique o seu abate. A justificação é então criar uma clareira para que haja mais sol no parque e a substituição do pavimento é apenas para que ”não se sujem os sapatos”.

- No entanto, sabemos que o parque é procurado fundamentalmente por quem valoriza e necessita de áreas de sombra e de prática desportiva em solos com menor impacto articular – por exemplo, crianças em tempos de ATL e pessoas que diariamente praticam desporto.

- Sabemos também que as altas temperaturas do Verão são cada vez mais uma constante e o cimento não é um piso adequado.
Assim, parece-nos que esta intervenção é totalmente desarrazoada.

- As árvores são seres vivos que regulam a temperatura, filtram a poluição, são o habitat de animais, protegem o solo, fornecem oxigénio e beleza natural e são insubstituíveis;
-
EXIJA UMA GESTÃO DE QUALIDADE, POR PARTE DA CM GUARDA

DEFENDA O PARQUE!

DEFENDA AS ÁRVORES! 

25/07/16

COMUNICADO | Quercus preocupada com o desempenho da Ecopilhas




Quercus preocupada com o desempenho da Ecopilhas

Pode comprometer a meta de recolha de pilhas para 2016



A Ecopilhas nos últimos 3 anos viu estagnar a recolha de Pilhas e Acumuladores Portáteis (PAP).Considerando que esta entidade representa cerca de 70% do mercado de PAP a Quercus está preocupada, poispode colocar em causa a meta de recolha de 45% estipulada para 26 de setembro do corrente ano que Portugal tem que cumprir.

Avaliando os dados disponíveis sobre estes resíduos, sendo que os oficiais da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) reportam só ao ano de 2013 e os restantes resultam da consulta dos Relatórios Anuais de Atividade das respetivas entidades gestoras, temos:

Ano
2013
2014
2015
Toneladas/%
Mercado
Recolhas
%
Mercado
Recolhas
%
Mercado
Recolhas
%
Ecopilhas
1433
409
27
1430
368
26
1251
325
24
Amb3e
108
45
28
173
44
38
188
83
56
ERP
139
52
37
279
78
42
316
119
49
APA
1727
485
31
--
--
--
--
--
--
Totais
1680
489
31
1882
490
28
1802
616
35
Meta nacional/comunitária±
45%
± A meta/objetivo nacional de recolha é de 45%, até 26 de setembro de 2016, decreto lei n.º 173/2015, de 25 de agosto

Aplicando a fórmula de cálculo prevista no decreto lei n.º 6/2009 [taxa de recolha = 3xR6/(V4+V5+V6)], as 3 entidades gestoras criadas para a gestão de PAP, a Ecopilhas, Amb3e e ERP, no conjunto em 2015 recolheram 35%.

A meta de 26 de setembro pode estar em causa se a entidade gestora com maior fatia no mercado não conseguir entretanto um aumento significativo. Na realidade a Amb3e e a ERP ultrapassaram largamente a meta de 25% de 2015 e também já a meta de 45% prevista para 2016, sendo que a Ecopilhas falhou a meta de 2015.

A Quercus vai questionar o Ministério do Ambiente sobre esta situação, nomeadamente qual o trabalho entretanto desenvolvido junto das 3 entidades gestoras, em particular com a Ecopilhas, que tem maior peso de mercado, para que daqui a 2 meses Portugal não falhe as metas de recolha de PAP.

O Estado Português, através do Ministério do Ambiente, está obrigado pela legislação (DIRECTIVA 2006/66/CE) a controlar anualmente as taxas de recolha e devem enviar relatórios à Comissão no prazo de seis meses a contar do fim do ano civil em causa. De reforçar que, para a Quercus, é um péssimo indicador a APA só ter os dados de 2013 disponíveis online.

Lisboa, 20 de julho de 2016

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza


Para mais informações contatar:

Rui Berkemeier, Coordenador do Centro de Informação de Resíduos
– tlm: 934256581 | E-mail: residuos@quercus.pt

Pedro Carteiro, Colaborador do Centro de Informação de Resíduos
– tlm: 934285343 | E-mail: residuos@quercus.pt

João Branco, Presidente da Direção Nacional da Quercus
– tlm: 937788472 | E-mail: joaobranco@quercus.pt