18/04/14

Algum dia terá fim a poluição no rio Noéme?



No dia 23 de Março o Núcleo Regional da Guarda da Quercus – A.N.C.N. em parceria com vários presidentes de Juntas de Freguesia por onde o rio Noéme passa assinalou o dia Mundial da Água (dia 22 de Março) com uma caminhada de protesto pela situação de poluição que o rio Noéme se encontra. Tratou-se de um percurso circular com início e fim na aldeia da Gata. Ao longo do percurso foi possível passar por vários pontos do rio Noéme antes de após a descarga poluente que ocorre na ponte da Gata. Na caminhada estiveram presente mais de 100 pessoas. Fica um agradecimento especial ao Clube de Montanhismo da Guarda pela sua participação.

Até ao final de Maio decorrerá um abaixo-assinado que pretende reunir o máximo de assinaturas por parte da população afectada directamente pela situação de poluição em que o rio se encontra e por todos os outros que estejam solidários com a causa. Estão a decorrer em simultâneo recolha de assinaturas na sede do Núcleo Regional da Guarda da Quercus e nas Juntas de Freguesia da Guarda, Casal de Cinza, Vila Garcia, Vila Fernando, Rochoso/Monte Margarida, Cerdeira, Amoreira/Parada e Cabreira e Malhada Sorda. Os interessados deverão contactar directamente os presidentes das Juntas de Freguesia.

Na semana seguinte à caminhada fomos convidados para reunir com a empresa Águas do Zêzere e Côa, responsáveis pela ETAR de S. Miguel (solução encontrada para o encaminhamento do efluente industrial da Fábrica Tavares). Foi-nos dito que desde 2010 há reuniões entre as 3 entidades – Serviços Municipalizados de Água e Saneamento da Câmara Municipal da Guarda; empresa Águas do Zêzere e Côa e Fábrica Tavares. Foi-nos dito também que a última reunião entre as três entidades foi a 28 de Fevereiro de 2014 na sequência da questão que a Câmara Municipal da Guarda fez às Águas do Zêzere e Côa, a qual os Deputados Municipais do Bloco de Esquerda divulgaram pelos seus meios.

“(…) foi solicitado à empresa Águas do Zêzere e Côa que informasse esta autarquia sobre a data de início para a recepção das águas residuais nos colectores afluentes à ETAR de S. Miguel (…)”

Na mesma reunião a empresa Águas do Zêzere e Côa justificaram o porquê de ainda não estarem a receber o efluente industrial da Fábrica Tavares. A Fábrica nunca confirmou o caudal e a carga poluente que o efluente contém à saída da Fábrica, valores apresentados pela empresa Águas do Zêzere e Côa na sequência da reunião que houve em 2010.

538 m3/dia de caudal máximo
CBO – 150 mg/l
CQO – 750 mg/l
SST – 200 mg/l
Azoto – 65 mg/l
Fósforo – 5 mg/l


Neste momento aguarda-se que a Fábrica comunique o caudal e a carga poluente que o efluente industrial apresenta à saída da Fábrica. Até ao dia em que o Núcleo Regional da Guarda teve a reunião com a empresa Águas do Zêzere e Côa, dia 27 de Março, a Fábrica ainda não tinha respondido. É caso para perguntar, algum dia terá fim a poluição do rio Noéme?