13/03/12

Comunicado | Projeto EcoSave: utilização incorreta dos eletrodomésticos pode aumentar o seu consumo em 40%‏


Apresentação de resultados do projeto EcoSave decorreu hoje, em Setúbal

Utilização incorreta dos eletrodomésticos pode aumentar o seu consumo em 40% 
Decorreu hoje, 13 de Março, pelas 15h00, na Casa da Baía, em Setúbal, a apresentação de resultados do Projeto ECOSAVE, que juntou cerca de 50 pessoas, entre agências de energia, entidades públicas, empresas e consumidores. Este projeto analisou o impacte real da utilização dos eletrodomésticos no consumo de energia, cuja fatia no consumo total de uma habitação é de 33%.
Até que ponto a eficiência energética na compra pode ser anulada pelos hábitos incorretos dos utilizadores?
Foi a pergunta a que o projeto EcoSave se propôs a responder, e que o Prof. Carlos Banha, do Instituto Politécnico de Setúbal desenvolveu durante a sua intervenção. Foram apresentadas várias situações em que o comportamento influencia negativamente o consumo dos equipamentos. Por exemplo, abrir a porta do frigorífico de forma brusca pode fazer aumentar 16% do consumo do mesmo. No caso do forno, os testes mostraram que leva cerca de 20 minutos a temperatura do forno cair cerca de 100ºC e portanto é viável desligar o forno 10 a 15 minutos antes do cozinhado estar pronto. As simulações realizadas mostraram ainda que lavar a roupa a 60ºC pode gastar 3 vezes mais energia do que um programa de lavagem de roupa a frio.
Orlando Paraíba, coordenador do projeto, fez a apresentação do projecto e das ferramentas daí resultante: sitio na internet (www.ecosave.org.pt), simulador e guia de informação ao consumidor. Acrescentou ainda que estão a ser visitadas mais de 350 lojas do segmento, nas quais se irão distribuir 40 mil brochuras relativas ao projeto, abrangendo também formação aos vendedores sobre a utilização eficiente de eletrodomésticos.
Em representação da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), esteve Cristina de Barros, que mostrou a importância do Plano de Promoção para a Eficiência no Consumo (PPEC), evidenciando que o benefício dos projectos corresponde a 9 vezes o investimento realizado pelo PPEC.
João Francisco, do Instituto Politécnico de Setúbal e Valter Sousa, da DECO, vieram mostrar como é importante consumidores informados para conseguir a alcançar uma melhor gestão do consumido de energia.
Rui Bento da Míele veio mostrar como os fabricantes também podem ter um papel importante na eficiência energética pela inovação tecnológica dos eletrodomésticos, com a redução do consumo de energia no seu funcionamento e outras medidas como a utilização de fontes renováveis de água quente, pela ligação de máquinas de lavar aos painéis solares de aquecimento de água.   

Breve descrição da metodologia dos ensaios
Através de ensaios experimentais desenvolvidos pela Escola Superior de Tecnologia de Setúbal simulou-se o aumento do consumo de energia causado por más práticas em seis eletrodomésticos: frigorífico combinado, arca congeladora, forno, máquinas de lavar roupa, de secar roupa e de lavar loiça. Os resultados obtidos serviram de base a um simulador online, disponível em www.ecosave.org.pt, que permite calcular a influência da utilização dos equipamentos no seu consumo de energia. Foi também elaborado um guia informativo, a ser distribuído gratuitamente em lojas de eletrodomésticos, juntas de freguesia e bibliotecas, nos concelhos abrangidos pelo projecto (Alcochete, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Moita, Montijo, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal e Sintra).

Coordenação e Parceiros
Este projecto é coordenado pela ENA, Agência de Energia e Ambiente da Arrábida e financiado pelo PPEC, Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC), promovido pela ERSE. Como parceiros de projeto, o EcoSave conta com a colaboração da AMES (Agência Municipal de Energia de Sintra), AMEC (Agência Municipal de Energia de Cascais), OEINERGE (Agência Municipal de Energia de Oeiras), S.ENERGIA (Agência Regional de Energia do Barreiro, Moita, Montijo e Alcochete), AMESEIXAL (Agência Municipal de Energia do Seixal), da Quercus – A.N.C.N. e da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal.

Setúbal, 13 de Março de 2012