01/10/11

Comunicado sobre as declarações da Ministra do Ambiente sobre a barragem do Tua‏

Quercus

VALE DO TUA: A NOSSA HERANÇA!
sobre as declarações da Ministra do Ambiente sobre a barragem do Tua


 VALE DO TUA: A NOSSA HERANÇA!
A Quercus ANCN através do seu Núcleo Regional de Vila Real e Viseu vem desta forma mostrar o seu repúdio face às palavras da actual Ministra do Ambiente acerca da sua posição em relação à barragem de Foz Tua na Assembleia da Republica. Afirmou que não pode “parar a barragem”, e que esta era uma “matéria herdada e fechada”. É nestas alturas que devemos lembrar que aquilo que herdamos foi um Vale Singular acompanhado em perfeita harmonia por uma linha de comboio com mais de 120 anos de História.
Esta herança dos nossos antepassados deve servir de lição para um futuro sustentável e harmonioso entre o Homem e a Natureza.
Na semana em que faleceu Wangari Maathai, prémio Nobel da paz atribuído pelo seu empenho para a pratica do desenvolvimento sustentável, da igualdade e da democracia. Torna-se evidente porque é Nobel, pois valores que deviam ser defendidos e colocados em prática por todos, só em raras excepções surgem.
São estes valores que devemos herdar e não o continuar constante e incompreensível vinculo à politica do “betão” que só tem empobrecido o país em todos os aspectos desde a moral, à cultura, passando pelo ambiente-mas agora que tanto se fala da divida do país - economicamente também, pois esta é mais uma PPP cuja factura será a “herança” desta geração e das vindouras se esta politica continuar.
Queremos herdar sim: o cumprimento da Directiva Quadro da Lei da Água, a paisagem e o ecossistema do Vale do Tua último reduto de várias espécies de flora e fauna (em termos de avifauna semelhante ao Douro Internacional e ao Sabor); o Património da Humanidade (classificado pela Unesco) Alto Douro Vinhateiro, a navegabilidade do Douro com turismo e agricultura sustentável, uma das maiores manchas de sobreiros a Norte do Tejo; a Linha do Tua considerada pelo IGESPAR como tendo “um valor patrimonial de excepção nos domínios histórico, social, técnico e paisagístico”.

As palavras da Senhora Ministra, quando afirma que as obras já estão muito avançadas e que existe lá um paredão, são falsas.
Importa repor a verdade e lamentar a sua falta de conhecimento sobre este assunto. O que é verdade é que existem umas pequenas obras de desmatação que a EDP está a realizar à pressa, trabalhando de dia e de noite, para que seja inevitável a politica do facto consumado.

Restará agora saber se a falta de verdade transmitida pela Ministra do Ambiente terá sido deliberada ou se isso corresponderá a informações deturpadas que lhe chegaram e que indevidamente transmitiu. Em qualquer dos casos, o governo já deixou clara a sua posição de desrespeito pelo ambiente e economia da região Transmontana e Duriense, e apresenta-se como correia de transmissão das empresas do betão e da energia.

O Núcleo Regional de Vila Real e Viseu da QUERCUS apela ao governo e à Sra. Ministra do Ambiente que façam parar a construção da barragem do Tua, para poder ser reavaliada como PPP, antes que o facto esteja efectivamente consumado.

A nossa herança O Vale do Tua!

Quercus-Associação Nacional de Conservação da Natureza
Núcleo de Vila Real e Viseu