28/09/11

Apanha tradicional da Amêndoa



A amêndoa do Douro Superior reconhecida e classificada com Denominação de Origem Protegida, este fruto é de primordial importância para esta região. Neste sentido a Quercus e a Junta de Freguesia de Numão promoveram uma apanha tradicional da amêndoa. com esta iniciativa, a Quercus e a Junta de Freguesia pretenderam alertar para a perda de peso da cultura da amêndoa na economia local, uma vez tem vindo a diminuir drasticamente, correndo mesmo o risco de abandono.

Durante os meses de Fevereiro e Março produz-se a floração destas árvores pronunciando o fim do Inverno e a chegada da Primavera, atraindo milhares de visitantes ás terras do Douro Superior. Porém o ciclo da amêndoa continua, distante dos olhares destes visitantes. O fruto lentamente vai crescendo até que chega Setembro. Altura em que o fruto deve ser apanhado.

Logo pela manhã, a azafama de reunir todos os utensílios para que os visitantes possam usufruir de um dia diferente, sendo Abel Pinto (J.F.N) “os visitantes foram convidados a participar respeitando as técnicas e os utensílios tradicionais, acompanhados pela D. Ilda uma sessagenária que durante anos realizou a apanha para ganhar a vida.”Por sua vez Ricardo Nabais (Quercus)refere-nos que um dos objectivo era alertar os visitantes e os participantes para o crescente abandono das actividades agrícolas e o crescente abandono dos terrenos”

A D. Ilda deu inicio à actividade com uma breve explicação do que se iria passar, dividindo o grupo, aos homens compete varejar as amendoeiras enquanto que às mulheres apanham as amêndoas. Assim e após esta divisão por sexos, os homens pouco habituados a estas andanças, começam a varejar enquanto as mulheres de joelhos apanham as amêndoa.

Os protagonistas desta actividade vieram de sítios tão diferentes, destaco um grupo que veio de Lisboa e outro do Sabugal, todos juntos aprenderam e contribuíram para um convívio permanente, ajudando-se mutuamente. No final da actividade os participantes repartiram o resultado do trabalho.