06/04/11

Petição na Internet quer classificação do sobreiro como “Árvore Nacional de Portugal”



A classificação do sobreiro como “Árvore Nacional de Portugal” está na base de um movimento criado pelas associações Árvores de Portugal e Transumância e Natureza que estão a promover uma petição para entregar na Assembleia da República.

“O Estado devia fazer uma legislação para classificar o sobreiro como Árvore Nacional de Portugal, porque se trata de uma espécie muito importante a nível da biodiversidade e da riqueza” para o país, afirmou hoje Ricardo Nabais, técnico florestal da Associação Transumância e Natureza (ATN).

Em declarações à agência Lusa, o mesmo responsável destacou a importância de proteger os sobreiros, uma das “árvores mais emblemáticas” do país e “um símbolo de biodiversidade”, porque tem sido uma espécie “muito afetada” pelos abates ilegais.

“O alargamento de uma estrada implica abater uma árvore ou porque um sobreiro está quase a morrer e já o querem abater, mas, se todos apoiarem esta causa, a espécie vai ter mais proteção”, frisou Ricardo Nabais.

O técnico florestal da ATN apelou à participação dos portugueses na petição, uma vez que a recolha de assinaturas “está a ser difícil”, porque “as pessoas andam preocupadas com outros assuntos”.

Lançado em outubro do ano passado pelas duas associações, o movimento está a promover uma petição na Internet, que já conta com mais de mil assinaturas, para que a classificação daquela espécie seja debatida na Assembleia da República.

O documento, consultado pela Lusa, mobiliza os interessados a ajudarem na classificação do sobreiro como “Árvore Nacional de Portugal”, por ser uma espécie com ampla distribuição no território nacional continental, presente desde o Minho ao Algarve.

O sobreiro ocupa em Portugal perto de 737 mil hectares, o que corresponde a cerca de 32 por cento da área que a espécie ocupa no Mediterrâneo ocidental, pode ainda ler-se no texto da petição, que pode ser subscrita em www.peticaopublica.com/?pi=sobreiro.